Boteco Móvel











Para aumentar o tamanho da fonte tecle ' Ctrl ' e ' + ' juntos






Acompanhe o Boteco Móvel por  email

Coloque o seu endereço de e-mail:

Delivered by FeedBurner







Kassab, Políticos E A Visão Dos Idiotas







Kassab
Sei que quem curte uma baladinha não gosta do Kassab - prá quem não é da capital paulista informo que Kassab é o nome do inimigo número 1 das baladas e barzinhos e que travestindo-se como um personagem criado por marketeiros conseguiu ludibriar a maioria dos eleitores e se tornar prefeito de São Paulo -.

Mas "Você pode enganar algumas pessoas o tempo todo ou todas as pessoas durante algum tempo, mas você não pode enganar todas as pessoas o tempo todo." (Abraham Lincoln)

Mas para que o ERRO não se repita peço à você, meu caro leitor(a), que leia e divulgue o texto abaixo. Ao menos, o cidadão tem que saber exatamente em quem deposita suas esperanças quando vota.

"São Paulo, assim como o Rio de Janeiro e outras cidades brasileiras, sofre com políticos despreparados e que não entendem seus verdadeiros papéis no cenário nacional. Muito mais preocupados com seus próprios umbigos sujos, eles concentram suas energias em tentar mostrarem-se administradores preocupados com a boa administração. No entanto, o que fazem é apenas prejudicar a vida dos cidadãos e agir de forma canhestra e mal disfarçada unicamente em benefício próprio.

Ao aumentar as verbas destinadas a publicidade de seu governo em mais de 130% neste ano, Kassab se viu diante de um dilema: aumentar o caixa ou passar um atestado de incompetência diante do povo. Às vésperas de um ano eleitoral importante para seu partido e para seus aliados, equacionar corretamente essa questão seria a chave do seu sucesso.

Preocupado com os reflexos negativos do baixo fluxo de caixa, tomou a brilhante decisão de cortar 20% das verbas da limpeza pública. Afinal de contas, uma população que adora jogar lixo pelas ruas, nem sentiria a falta de garis varrendo e limpando a sujeirada que ela faz. Ao mesmo tempo, suas energias poderiam voltar-se para o fato verdadeiramente importante que era o de propagar suas “grandes medidas” à frente da prefeitura da maior cidade do país e garantir o seu apoio, de político competente e ligado nas necessidades do povo, nas próximas eleições a quem o seu partido indicar. Ou, quem sabe, candidatar-se a um cargo ainda mais prestigioso.



Kassab



Quis a natureza que uma chuva torrencial encontrasse, nas ruas imundas e mal varridas, uma fonte de multiplicação da desgraça e do desespero que já seriam esperados. Afinal, juntamente com o governador José Serra, Kassab pensa que para diminuir os danos das chuvas, basta rezar para que não chova. Varrer a cidade, desentupir bueiros, limpar galerias e construir meios de contenção das águas pluviais é mero tempo perdido. Afinal de contas, essas obras jamais serão lembradas e são de difícil veiculação em propaganda. Culpar Deus e a natureza é mais fácil e aplaca a ira do povo crédulo e ignorante.

Mas, depois da chuva e da desgraça. Para não ficar taxado como burro e omisso; Kassab insiste que a diminuição de verbas para a limpeza das ruas em nada influiu no resultado da catástrofe. Mas, só para não dizerem que ele é teimoso, suspende a diminuição da verba e a varrição volta ao seu estado anterior.

Contudo, o problema original persiste: Como melhorar o fluxo de caixa do município e continuar com a propaganda de vento em popa? Sua mente ferve e sua cabeça dói diante de problema tão perverso. Cortar a verba da limpeza e da coleta de lixo poderá ser fatal em caso de novas chuvas… mas, onde mexer? De onde retirar a tão sonhada verba para aquele comercial sensacional que seus publicitários elaboraram? “Sua imagem e seu discurso ficaram tão bonitos… seria uma pena desperdiçar… ele parece até um presidente falando” – pensa matutando uma solução.

Então, numa divina inspiração e num assombro de seu intelecto superior; a ideia salvadora se materializa bem diante de seus olhos: “Ora; vamos diminuir uma refeição das crianças nas creches municipais. Para que pobre quer comer cinco vezes por dia? Eles sequer comem três vezes em suas próprias casas. Essa gente acomodada e preguiçosa que acha que o Estado deve suprir as suas necessidades. Pobretões idiotas”.

Num arroubo, lança determinação para que se cumpra a retirada da alimentação das crianças – “Agora sim, meu comercial sai… Ficou tão legal…” – pensa mais uma vez surpreso com sua própria inteligência e sagacidade.


Kassab

Contudo, nem bem a coisa vem a público e um monte de jornais, blogs, sites e gente incapaz de entender a sua perfeita engenharia financeira vem a público criticá-lo. Num instante percebe que tirar comida da boca de crianças é pior do que deixá-las morrerem afogadas. Parece covardia e vilania das grossas. Como nenhum assessor o alertou para isso? – “Bando de incompetentes” – Resmunga entre os dentes cerrados.

Antes de mandar cancelar todo o seu brilhante plano e de engavetar seu comercial tão legal; Kassab ainda pensa: “Bem que a censura podia voltar, esse negócio de liberdade de imprensa e de informação é uma droga. Só atrapalha”.

Enquanto isso; permanece em seu gabinete tentando conseguir uma nova grande ideia para garantir aquele comercial tão legal e tão informativo em que mostra como é um político preocupado com os mais carentes… e a sua visão para uma São Paulo e um Brasil melhores.

“Quem sabe cortar a medicação dos velhinhos…”

Lembre-se disso ao escolher o seu próximo prefeito eleitor.

É sua a responsabilidade pela mudança. "




Fonte: Visão Panorâmica














Um comentário:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.



Em Fevereiro de 2011 este site passou por uma reconstrução. Por este motivo muitos posts têm links internos quebrados. Eles serão consertados aos poucos.



Parceiros

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...